sábado, 25 de abril de 2015

Liberdade?

Num dia em que acordo com gritos de um homem ("viva a liberdade!") relembro mais uma vez as grandes vítimas diárias realizadas pelas nossas próprias mãos: os animais. Animais que usamos consoante as suas características - ou pela carne, ou pelo pêlo, ou pelo nosso entretenimento... Um porco só serve para comer, enquanto um golfinho deve ficar fechado numa piscina a dar saltinhos; um cão deve ser amado e respeitado e, quanto aos gatos, tenham cuidado, porque na verdade eles não merecem confiança total. E só porque sim, porque nos ensinaram que assim é que deve ser e porque nos habituámos a viver desta maneira. No entanto, ao crescermos, ao conhecermos as injustiças das quais nós próprios somos vítimas e ao rebelar-nos com o que nos rodeia, deveriamos acordar para o facto de não sermos tão diferentes de quem nos faz mal. Nós também roubamos, torturamos e matamos. Não diretamente, mas fazêmo-lo. Por isso vale a pena pensar se o mal que nos cai em cima é assim tão injusto, especialmente quando choramos e perguntamos "porquê eu? que mal fiz eu ao mundo para merecer isto?". 
Se dizem não ao sexismo e ao racismo, digam também ao especismo. Caminharemos assim juntos para um mundo mais justo. Só seremos verdadeiramente livres quando soubermos apreciar a liberdade alheia.


segunda-feira, 13 de abril de 2015

"Marcha" da ANIMAL

No Sábado, dia 11 de Abril, estive presente no encontro anual da ANIMAL. Foi um dia muito bem passado! Boa música e comida excelente... Comi um bolinho de beterraba que tinha uma textura super divertida e uma tarte de espinafre e soja que me soube mesmo muito bem.
Foi muito bom ouvir o que as pessoas que discursaram tinham a dizer.Ao ver tantas pessoas juntas pelos animais, não me senti sozinha Recuperei a esperança que quase tinha perdido e senti-me orgulhosa por fazer parte de um grupo com intenções tão boas!


segunda-feira, 6 de abril de 2015

Criar um filho vegan

Li hoje esta fantástica publicação de uma mulher sobre o seu filho vegan. Fala por ela mesma e pelas outras mães vegan que são atacadas porque estão a "subnutrir" os seus filhos ou a "privá-los da vida social".
Este tipo de testemunhos são importantes para mostrar que o veganismo não põe ninguém em risco de vida e muito menos torna alguém inapto a viver em sociedade. É preciso espalhar a palavra de que ter gosto pela própria vida e pela vida dos animais não é nada mais do que aquilo que todos deveríamos seguir.
Vale muito a pena ler.
Basta clicar no link abaixo.

sábado, 4 de abril de 2015

Esparguete com pasta de soja e vegetais

Ingredientes:
esparguete
soja granulada
brócolos
feijão verde
natas de soja (as da marca Área Viva são 89 cêntimos cada, o mais barato que encontrei até agora)
azeitonas (opcional)

Preparação:
Inicialmente cozem-se os brócolos com o feijão verde.
Enquanto se espera põe-se a soja em água fria ou morna para hidratar, mas a granulada não precisa de estar de molho muito tempo, uns 5/7 minutos é suficiente.
Corta-se alho e deixa-se em azeite no lume até alourar. Cortam-se aos pedacinhos os legumes cozidos e põem-se nos alhos juntamente com a soja. Para temperar usa-se sal, colorau e salsa. É importante mexer sempre porque a soja absorve muito bem os líquidos e corre-se o risco de começar a colar. Uns 10 minutos depois colocam-se as natas e deixa-se em lume leve durante 10 a 15 minutos.
À parte coze-se o esparguete.
Podem-se colocar azeitonas para tornar o prato ainda mais bonito.



NOTA: Não coloco quantidades porque faço sempre a olho e sinceramente não tenho jeito nenhum para a cozinha. Sempre que uma receita funcionar coloco aqui.